sexta-feira, novembro 25, 2011

Vídeo da Nasa - veja nosso lindo planeta do espaço.

Como seria dar a volta na Terra vendo nosso planeta de cima? Os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), tem o privilégio de fazer isso a cada 90 minutos.
Recentemente, membros da tripulação produziram uma série de vídeos sensíveis à luz, filmados no período da noite. As imagens reunidas podem ser conferidas no vídeo em time-lapse reproduzido acima.
Muitas cenas maravilhosas do céu são visíveis no vídeo, incluindo auroras vermelhas e verdes, luzes das grandes cidades e estrelas ao fundo. Uma parte da ISS aparece algumas vezes na parte superior do vídeo.
video

Reconheceu alguma região no vídeo? Se você quiser pode ajudar a criar um guia para acompanhar as imagens identificando cidades, países, fenômenos climáticos e até mesmo as constelações que aparecem ao fundo. [NASA]

E vejam que máximo, vcs podem pesquisar no link http://spaceflight1.nasa.gov/realdata/sightings/  por onde ela anda e tentar vê-la da sua cidade.
fonte: http://hypescience.com/video-volta-ao-mundo-em-90-minutos/

quinta-feira, novembro 24, 2011

Físicos descobrem uma nova subpartícula: Xi-sub-b neutra

Físicos do laboratório Fermilab produziram, através de colisões de alta velocidade, o que eles acreditam ser uma nova partícula, um parente mais pesado do nêutron.
A partícula é chamada Xi-sub-b neutra. Quando formada no acelerador de partículas, durou apenas um mero instante antes de decair em partículas mais leves.
Os cientistas descobriram essas partículas efêmeras fazendo partículas girarem em volta de um anel de 6,3 quilômetros próximo à velocidade da luz. Quando as partículas colidiram, a efusão de energia as desintegrou em outras partículas.
O modelo padrão da teoria da física prevê a existência da Xi-sub-b neutra, mas esta é a primeira vez que os pesquisadores a detectam.
A partícula é um bárion, o que significa que é composta por três partículas fundamentais chamadas quarks.
Prótons e nêutrons, que compõem o núcleo dos átomos, são bárions. Prótons contêm dois quarks “up” e um “down” (existem seis tipos de quarks na natureza: “top”, “bottom”, “charm”, “strange”, “up” e “down”), enquanto os nêutrons têm dois quarks “down” e um “up”.
A partícula recém-descoberta contém um quark “strange”, um quark “up” e um quark “bottom”. O quark “bottom” é chamado de quark “bottom” pesado, e torna a Xi-sub-b neutra cerca de seis vezes mais pesada que um próton ou nêutron.
Medir as propriedades de partículas minúsculas como a Xi-sub-b neutra permite que os físicos compreendam como os quarks interagem para formar a matéria. Segundo os cientistas, os modelos de física ainda preveem que vários bárions têm que ser descobertos.
fonte: http://hypescience.com/fisicos-descobrem-uma-nova-subparticula-xi-sub-b-neutra/

sábado, novembro 19, 2011

Aceleradores de partículas

Hoje na mídia se fala muito em aceleradores de partículas. Vc sabe como funcionam os aceleradores?
O LHC (Large Hadron Collider - Grande colisor de hádrons) é o acelerador mais potente que existe atualmente. As partículas percorrem 27 km, num túnel subterrâneo circular, a 100m abaixo do solo, na fronteira da Suíça com a França.
Prótons (que hj são chamados de hádrons) são acelerados a velocidades muito próximas a da luz e colidem. Nestas colisões é possível observar uma variedade enorme de novas partículas.
Suponha que conseguíssemos acelerar dois moranguinhos a estas altíssimas velocidades. No momento da colisão, pela conservação de energia, a energia que os morangos carregam (energia cinética, devido a sua velocidade), se materializaria em novas frutas.

Conversão Energia-Massa  ( E=mc² )


Partículas com massas pequenas produzindo partículas com massas maiores. Coloca-se as partículas de massa pequena num acelerador, dá-se a elas muita energia cinética (velocidade)  e faz-se a colisão. A energia cinética das partículas se converte na formação de novas partículas de maior massa. Criam-se partículas pesadas instáveis e estuda-se suas propriedades.
 
Uma outra maneira de ver o fenômeno, é pensar que quando os prótons são acelerados eles aumentam de massa (segundo a teoria da relatividade - corpos que se movem a velocidades próximas da luz tem sua massa aumentada). Deste modo no momento da colisão dos prótons surgem várias outras partículas. Para saber um pouco mais assista ao vídeo abaixo:
 
video
 

domingo, novembro 13, 2011

Física Quântica para todos! (2)


Por Eliane P. Serra Xavier

Efeito Fotoelétrico - Fótons

Por volta de 1905 Einstein usou a ideia de Planck, da
energia quantizada, para explicar o chamado Efeito Fotoelétrico. Trabalho pelo
qual ele ganhou o premio Nobel em 1921.

O Efeito Fotoelétrico é um fenômeno que ocorre quando incidimos luz sobre
uma superfície de metal e elétrons, ao serem estimulados pela luz, pulam
para fora do metal. No seu artigo Einstein propunha que a luz ao incidir sobre
a superfície de metal tinha sua energia absorvida pelos elétrons em forma
de partículas, ou seja, em forma de pacotinhos de energia. Sendo assim cada
elétron que capturasse um pacotinho, desde que o pacotinho tivesse a energia
necessária, ele pularia para fora da placa de metal.

Efeito Fotoelétrico

O que seria ”ter a energia necessária”?
Cada tipo de onda eletromagnética, a luz visível, as ondas de
rádio, TV, celulares, raios X, microondas, etc., cada onda tem uma específica
frequência de vibração. Frequencia da onda é o número de vezes que a onda
oscila num determinado intervalo de tempo. Quando medimos a frequência
de uma onda em Hertz, por exemplo, estamos dizendo quantas vezes a onda
oscila em um segundo. Voltando ao efeito fotoelétrico, dependendo então da
frequência da onda eletromagnética que incidia sobre a placa de metal, seus
fótons carregavam uma quantidade específica de energia que é proporcional
a sua frequência. Assim sendo, se a onda tivesse uma frequência de oscilação
alta o suficiente para que seus pacotinhos de energia – os fótons - tivessem
a energia necessária para que o elétron pulasse do metal, o efeito ocorria. Se
a luz (onda eletromagnética) que incide sobre o metal tivesse uma vibração
(uma freqüência) muito baixa, o efeito deixava de ocorrer, mesmo que a luz
ficasse incidindo por um tempo indeterminado.

E = h. v
Energia do fóton = constante de Planck x frequencia da onda


O fóton da luz azul tem mais energia que o fóton da luz vermelha, por exemplo, pois a luz azul tem uma frequência de vibração maior que a luz vermelha.

Este modelo de Einstein satisfez totalmente a necessidade de explicação do
fenômeno, e abriu uma discussão importantíssima na física moderna! Será que
se a radiação eletromagnética, como a luz do sol, por exemplo, que sempre
foi vista pela ciência como ondas eletromagnéticas e que agora também são
conhecidas como pequenas partículas de energia, os quanta, será que isso
então não nos levaria a hipótese contrária, ou seja, não poderiam também as
partículas serem ondas ?!

*** no próximo post: Física Quântica para todos! (3) - Esta foi a proposta colocada pelo físico francês Louis de Broglie. De Broglie propôs a tese de que o elétron, até então conhecido como partícula, poderia apresentar também o comportamento ondulatório! Que estranho! Que bizarro
isto! Mas para o espanto de toda a comunidade científica, foi isto mesmo que
foi observado ao montarem o famoso experimento da “fenda dupla”. Bem,
mas isto já é assunto para outro artigo.

Emaranhamento Quântico

O espaço e tempo são dois conceitos clássicos fundamentais mas de acordo com a mecânica quântica são secundários. Os emaranhamentos são primários.Eles interconectam sistemas quânticos sem referência a espaço e a tempo.
 
Quando duas partículas estão emaranhadas elas perdem suas características próprias e começam a funcionar como um único sistema. A interação entre elas continua mesmo que elas estejam separadas por longas distâncias.

emaranhamento quântico é um fenômeno da mecânica quântica que permite que dois ou mais objetos estejam de alguma forma tão ligados que um objeto não possa ser corretamente descrito sem que a sua contra-parte seja mencionada - mesmo que os objetos possam estar espacialmente separados. Isso leva a correlações muito fortes entre as propriedades físicas observáveis dos diversos sub-sistemas.

Essas fortes correlações fazem com que as medidas realizadas num sistema pareçam estar a influenciar instantaneamente outros sistemas que estão emaranhados com ele, e sugerem que alguma influência estaria a propagar-se instantaneamente entre os sistemas, apesar da separação entre eles. Mas no Universo não se permite a transmissão de informação a uma velocidade superior à da velocidade da luz, portanto o emaranhamento quântico mostra um conceito que chamamos de não-localidade, ou seja a informação não viaja pelo espaço e pelo tempo. A informação é instantânea, não-local.


O emaranhamento quântico é considerado pelos cientistas como base para futuras tecnologias como computação quântica, criptografia quântica e teletransporte quântico. Fenômeno intrínseco da mecânica quântica, o emaranhamento permite que duas ou mais partículas compartilhem suas propriedades mesmo sem qualquer ligação física entre elas.


sábado, novembro 05, 2011

sexta-feira, novembro 04, 2011

Física Quântica para todos! (1)

Olá amigos, preparados para nossa primeira aulinha?

E tudo começou com a quantização da energia...

Por volta de 1900 havia uma “mosca na sopa” da física clássica. Era a
radiação do corpo negro. Como este artigo é para o público leigo não irei me
deter em explicações técnicas do fenômeno. O que nos importa é saber que
toda a física clássica até então simplesmente não dava conta de explicar o que
era observado neste fenômeno. A comunidade científica estava diante de um
impasse. Um novo modelo científico precisava ser proposto para explicar tal
observação.
 O físico alemão Max Planck teve a genial ideia de propor que a energia na
verdade não se propaga de forma contínua, mas sim em pequeniníssimos
pacotes que vieram a ser chamados de quanta! Esses pacotinhos de energia
seriam realmente muito pequenos. Um pacotinho seria um quantum de
energia, a menor parte, como a ideia inicial de um átomo (a palavra átomo
vem de um radical grego que quer dizer indivisível, a menor porção possível).
Esta simples mudança de perspectiva (talvez nem tão simples assim, mas
simples no sentido de que ao mudar-se apenas um conceito, um ponto de
vista, a paisagem se descortina completamente nova a nossa frente), trouxe
uma maneira de interpretar o misterioso fenômeno da radiação do corpo
negro de forma totalmente satisfatória e completa!
Esta ideia foi o começo de uma verdadeira revolução na física! Nascia a física
do século XX, e com ela todo o descortinamento de um universo novo e
inesperado.


*** no próximo "Física Quântica para todos!" (2) - ...Um pouco mais tarde, por volta de 1905 Einstein usou a ideia de Planck, da energia quantizada, para explicar o chamado Efeito Fotoelétrico. Trabalho pelo qual ele ganhou o premio Nobel em 1921...

quinta-feira, novembro 03, 2011

Física Quântica para todos!

Olá amigos,
Acredito mesmo que a nova visão de mundo que a física quântica nos traz pode ser um caminho que nos levará a uma vida melhor, mais feliz e livre!! Por isso começarei uma sequência de postagens sobre toda a teoria quântica, em doses homeopáticas, claro! Irei numerando os posts para ficar mais fácil, caso percam algum. Hj a ciência reconhece que os fenômenos quânticos estão em todas as escalas, não só no mundo subatômico. Vivemos em um Universo Quântico!
Apertem os cintos! e vamos decolar nesta maravilhosa jornada ao mundo das infinitas possibilidades!
Desejo que estas informações sejam um Big Bang de energia positiva em suas vidas!

terça-feira, novembro 01, 2011

Visões do Futuro: A Revolução Quântica (1 de 6)

video

 Maravilhoso vídeo com o Físico Michio Kaku, falando de ciência e tecnologia. Fantástico!
"Se conhecermos o átomo, conheceremos todo o Universo."