segunda-feira, agosto 27, 2012

Palestra e Minicurso

Queridos amigos,
 
Atendendo a pedidos  estarei repetindo a Palestra: "A Relação entre a Física Quântica e as Práticas Contemplativas" no edifíco BIOCENTRO que fica na Rua Padre Anchieta, 1846. O encontro será no dia 26 de setembro das 20h às 22h. Inscrições antecipadas com Cristiane pelo e-mail fisicaquantica@uol.com.br ou pelo cel (TIM) 41-9886-1769. VAGAS LIMITADAS.
 
Vendo que não é possível observar sem interferir, a Física Quântica nos reconecta ao nosso poder interior, ao nosso livre-arbítrio e a nossa Divindidade, nos fazendo relembrar de sabedorias muito antigas, que se tornaram esquecidas pelo predomínio do paradigma clássico-cartesiano. É um caminho conjunto do conhecimento e do coração.
 
Tópicos:
 
Princípios Básicos da Física Quântica:
 
Modelos Atômicos; O significado de E=mc²; A ideia do quantum; Princípio da Incerteza; Dualidade onda-partícula; O colapso da função de onda; As infinitas possibilidades; O papel do observador na física quântica.
 
As Práticas Contemplativas:
 
Meditação Silenciosa; Shamata Impura; Shamata Pura; As Aplicações Clínicas das Práticas Contemplativas.

 
clique na imagem para ampliar

Convido também para o minicurso: Universo Quântico - como a física quântica pode ajudar a mudar o mundo e a nós mesmos.
 
Tópicos do curso:
 
- Salto Quântico e Criatividade;
- O Princípio da Incerteza: Indentidade x Self Quântico;
- Entrelaçamento Quântico e Não-localidade;
- Hierarquia Entrelaçada: o surgimento co-emergente do observador e do objeto;
- Acessando a Inteligência Supramental.
 
O minicurso será no dia 29 de setembro, sábado, das 14h às 18h, no CEBB Curitiba. Inscrições antecipadas com Cristiane pelo e-mail fisicaquantica@uol.com.br ou pelo cel 9886-1769. Colaboração Sugerida R$90,00.
 
 
clique na imagem para ampliar
 
 

quinta-feira, agosto 23, 2012

Lindo vídeo - Cataratas do Iguaçu e Sustentabilidade

video

Deixo pra vcs este lindo e profundo vídeo do cineasta e ambientalista Glaucon Horrocks, que já me deu a honra de ocupar um lugar entre os alunos dos meus cursos de Física Quântica.

A Quinta Dimensão - Física Quântica para todos (8)

 
Caros amigos,
 
Hoje vamos falar um pouco sobre a possibilidade de dimensões extras. Nosso espaço tem 3 dimensões: largura, altura e comprimento. Albert Einstein em 1905 incluiu o tempo como mais uma dimensão, transformando assim o nosso conceito de espaço como algo separado do tempo. Einstein traz uma descrição de uma única estrutura quadridimensional chamada de espaço x tempo. É um pouco mais difícil entender o tempo como uma dimensão pois isso foge ao nosso senso comum, mas vcs podem ver num post um pouco anterior a este "O Paradoxo do Gêmeos - o tempo ditala!" como este fenômeno acontece. Bem, quando falamos então em quinta dimensão estou me referindo a quarta dimensão espacial, que é a quinta no total, pois não podemos nos esquecer de que o tempo já está incluso, fazendo o papel da quarta dimensão.
Para nós podermos entender o que seria uma dimensão acima, nós precisamos primeiro pensar nas dimensões abaixo. Podemos imaginar como seria para um ser que vivesse em apenas duas dimensões, encontrar com alguém que viesse de uma dimensão acima, ou seja, alguém que vivesse num espaço de três dimensões. Para esta ideia postei abaixo um filminho muito interessante do Dr Quantum visitando um mundo chamado "Planolândia":
 
video
 
Como vocês puderam ver no filme o Dr Quantum pode realizar "milagres", como ver o que está dentro do cofre, ou retirar objetos de cômodos fechados sem passar pelas paredes. A ideia por trás desta formulação de que nosso Universo pode ter mais dimensões, é a de que pensando em um Universo com mais dimensões as leis físicas se tornam mais fáceis. Albert Einsten conseguiu simplificar as equações da física clássica quando ele tomou o tempo como sendo mais uma dimensão. Vindo futuramente do seu trabalho a famosa equação da física E = mc² !
Muitas das questões não respondidas hoje pela física podem ter suas soluções em dimensões extras, ainda não conhecidas por nós. Com certeza é uma ideia a se considerar. E se na verdade nosso cérebro só tenha evoluído para perceber 3 dimensões espaciais, quando na verdade estamos cercados por outras? Deixo pra vcs a pergunta e o mistério, que é o ponto mais fascinante de estudarmos nosso Universo.
 

terça-feira, agosto 14, 2012

I CONGRESSO LATINO AMERICANO EM SAÚDE E TERAPIAS QUÂNTICAS


Queridos amigos,
Gostaria de convidar-lhes para o I CONGRESSO LATINO AMERICANO EM SAÚDE E TERAPIAS QUÂNTICAS DIAS 9 e 10 de novembro em Curitiba, no Bourbon Convention Center.
CARTA DA PRESIDENTE "É com entusiasmo e muita satisfação que tenho a honra de convidar a todos os profissionais da área da saúde e afins, que estão comprometidos em fazer do nosso planeta um lugar melhor, interessados em conhecer os conceitos de saúde interdisciplinar vibracional holística, a participarem do I° Congresso Latino Americano de Saúde e Terapias Quânticas, promovido pelo Projeto Quantum, da parceria UNINTER/IBPEX – Fisioquantic." Rosangela Arnt PRESIDENTE
Cliquem no link para mais informações
http://www.grupouninter.com.br/cstq/
Nos vemos lá!
Abraços,

segunda-feira, agosto 13, 2012

Sabedoria e Conhecimento

Sabedoria e Conhecimento - Por vezes, podemos ter a informação e até o conhecimento, mas a sabedoria de sua aplicação construtiva só é conquistada com o coração. Enquanto a informação pode modificar o meu discurso e o conhecimento, a minha conduta – só a sabedoria é capaz de modificar o meu caráter e, assim, me transformar a cada dia num ser humano melhor! Que a luz da nossa candeia possa todos os dias iluminar alguém.

sábado, agosto 11, 2012

O Paradoxo dos Gêmeos - O tempo dilata!


Albert Einstein passeia ao lado de seu irmão gêmeo mais jovem!

O paradoxo dos gêmeos é um problema de relatividade geral que intriga aos cientistas e a pessoas comuns pois ele nos obriga a ver o espaço e o tempo de uma forma diferente da qual fomos acostumados a vê-los. Vamos supor que existam dois gêmeos idênticos João e José, e ao completarem 20 anos, João viaja para um planeta distante da Terra. Considerando que José vai ficar aqui no nosso planeta, para ele o tempo continua passando normalmente, e seu envelhecimento acontece de forma natural e normal. Já seu irmão João, que está viajando no espaço a velocidades próximas a da luz, sente o tempo passar de forma diferente para ele. Depois de 30 anos, por exemplo, ao se reencontrarem, o gêmeo que ficou na Terra teria a idade de 50 anos, enquanto que o outro, que viajou a velocidades altíssimas neste período dos 30 anos, estaria bem mais jovem!

Isso acontece pela constância da velocidade da luz! A luz se move sempre a mesma velocidade, independentemente do referencial! Este conceito não é simples pra gente, mas vamos entendê-lo melhor. No nosso querido mundo clássico, onde os fenômenos são descritos pelas tranquilas leis de Newton, a velocidade depende do referencial escolhido. Por exemplo, se estamos parados na calçada e olhamos um carro passar na rua a 60 Km/h, a velocidade deste carro em relação a nós é 60 Km/h. Já em outra situação, se estamos também na rua mas agora dentro de num carro também a 60 Km/h e olhamos pela janela para o outro carro ao nosso lado trafegando a 60 Km/h, veremos este carro "parado" em relação ao nosso referencial, certo?! Mas com a luz a história é diferente! A luz se move sempre a 300.000 km/s independentemente de onde estivermos olhando, independente do nosso referencial! Se você estiver parado e olhar um raio de luz, este estará se afastando de você a 300.000 Km/s. Se você estiver num foguete no espaço a uma velocidade altíssima, e olhar pela janela um raio de luz, ele também estará se afastando de você na mesma velocidade, sempre a mesma!
Podemos pensar que alguma outra variação no Universo precisa haver para "compensar" este efeito. E essa variação realmente existe. Ao invés de ser na velocidade da luz, que é sempre constante, esta variação acontece no passar do tempo. Um relógio na nave de João, que viaja a velocidades próximas a da luz, se move mais lentamente do que um relógio aqui na Terra!
Este fenômeno já foi comprovado experimentalmente ao se colocar um relógio atômico num avião supersônico, que deu a volta no planeta a alta velocidade, sincronizado com outro relógio atômico num laboratório aqui na Terra. Quando o avião voltou do seu percurso os relógios marcavam horários ligeiramente diferentes (o relógio do avião estava ligeiramente atrasado)! Mostrando que o tempo dentro do avião (que se movia a altas velocidades) passou de forma mais lenta do que no laboratório.

Podemos ver este efeito também, da dilatação temporal, quando observamos os raios cósmicos (chuvas de partículas que vem do cosmos sobre nosso planeta). As partículas cósmicas como os múons reproduzem este efeito quando apresentam um tempo de vida maior do que o esperado quando se movem em velocidades muito altas. Nestes casos, o tempo de vida da partícula é o mesmo, porém seu tempo e espaço estão deformados, e portanto em nosso referencial, medimos tempos de vida maiores para estas partículas. Efeitos similares são obtidos em grandes aceleradores de partículas em grandes centros de pesquisa, como o LHC, no laboratório CERN na fronteira da Suíça com a França.

Sei que este conceito é muito fora de nosso senso comum, de como pensamos ser o mundo. Mas concordo plenamento com o físico de Cordas Michio Kaku, que diz o seguinte: "A ciência existe justamente para nos fazer ir além de nosso senso comum das coisas. Se nosso senso comum estivesse certo não precisaríamos da ciência!"

Grande abraço!