terça-feira, dezembro 18, 2012

Curso Universo Quântico - como a física quântica pode ajudar a mudar o mundo e a nós mesmos.


clique na imagem para ampliar
 

Curso Universo Quântico: como a Física Quântica pode ajudar a mudar o mundo e a nós mesmos.

Assuntos abordados no curso:

Conceitos Básicos da Física Quântica – Dualidade onda-partícula, Princípio da Incerteza, Princípio da Complementaridade, Probabilidades Quânticas, O Papel do Observador na FQ;

Causação Descendente - A Consciência como criadora do mundo material (Amit Goswami);

Entrelaçamento Quântico e Não-Localidade;

Hierarquia Entrelaçada – O surgimento co-emergente do observador e do objeto;

Salto Quântico e Criatividade;

A Física Quântica e as Ciências Contemplativas.

 

Ministrante:

Eliane P. Serra Xavier

Mestre em Física Teórica a Área de Física Quântica pela UFPR;

Especialista em Ensino de Física pela UFRJ;

Ativista Quântica pelo Centro de Ativismo Quântico Amit Goswami;

Pesquisadora do CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas), no Rio de Janeiro;

Praticante Budista aluna do Lama Padma Samten.

 

Participação especial do Dr Milton Moura
 

Falando sobre os temas:

Fisiologia Quântica – um novo paradigma para a cura;

Coerência Cardíaca – um estado de equilíbrio entre a mente e coração;

Neurociência – comunicação entre emoções e DNA.

 

Quando:

Dias 22 e 23 de fevereiro de 2013.

Sexta-feira das 19h às 22:30 e sábado das 9h às 12:30 e das 14h às 18h.

 

Onde:

Sala de Convenções do Edifício Palace Executive Center.

Rua Padre Anchieta 1691, Champagnat. Curitiba /PR.

 

O curso inclui:

Três coffee break scom produtos orgânicos.

Entrega de Certificados.

 

Investimento:

Até o dia 20/01/2013 – 3 parcelas de R$ 125,00 (total R$ 375,00)

Do dia 21/01/2013 até o dia 21/02/2013 – 3 parcelas de R$ 130,00 (total R$ 390,00)

No dia do curso (se houver vaga) – 3 parcelas de R$ 140,00 (total R$ 420,00)

 

Inscrições com Cristiane pelo tel (TIM) 41-9886-1769


As inscrições serão feitas mediante envio do comprovante de depósito da primeira parcela do curso.

quarta-feira, dezembro 05, 2012

Matthieu Ricard - Hábitos de felicidade

 
  video
 
 
  video
  
 
video

Nascido em Aix-les-Bains, Savóia ele é filho do renomado filósofo francês Jean-François Revel (nascido Jean-François Ricard), e cresceu em meio às ideias e personalidades dos círculos intelectuais da França de então. Sua primeira viagem à Índia ocorreu em 1967.
Trabalhou para obter um Ph.D. em genética molecular no Instituto Pasteur. Após completar sua tese de doutorado, em 1972, Ricard decidiu abandonar sua carreira científica e se concentrar na prática do Budismo Tibetano. Viveu no Himalaia estudando com Kangyur Rinpoche e outros grandes mestres da tradição, e se tornou o estudante próximo e assistente de Dilgo Khyentse Rinpoche até sua morte em 1991. Desde então, Dr. Ricard tem se dedicado a realizar a visão de Khyentse Rinpoche.
As fotografias de Ricard dos mestres espirituais, paisagens e das pessoas dos Himalaias tem aparecido em numerosos livros e revistas. Henri Cartier-Bresson disse de seu trabalho, "A vida espiritual de Matthieu e sua câmera são uma coisa só, da qual jorra essas imagens, efêmeras e eternas". Em pesquisas feitas por neurocientistas, que estudam as áreas do cérebro estimuladas por sentimentos de felicidade Matthieu Ricard foi eleito o homem mais feliz do mundo.


terça-feira, outubro 09, 2012

Prêmio Nobel de Física 2012

Prémio Nobel da Física atribuído ao francês e ao norte-americano

Estocolmo - O prémio Nobel da Física 2012 foi hoje atribuído ao francês Serge Haroche e ao norte-americano David Wineland "pelos métodos experimentais inovadores que permitem medir e manipular sistemas quânticos individuais", anunciou o Comité Nobel.   

Serge Haroche e David J. Wineland inventaram e desenvolveram, independentemente, métodos de medir e manipular partículas individuais, preservando a sua natureza quântica-mecânica de uma forma até então considerada impossível, escreve a Real Academia Sueca das Ciências no comunicado em que anuncia os laureados.

O mesmo comunicado refere que os dois cientistas "abriram a porta a uma nova era de experimentação na física quântica ao demonstrar a observação directa de partículas quânticas individuais sem as destruir".

O comunicado explica que, para partículas individuais de luz ou de matéria, as leis da física clássica deixam de se aplicar e a física quântica toma o seu lugar. Mas as partículas individuais não são fáceis de isolar e perdem as misteriosas propriedades quânticas assim que interagem com o mundo exterior.

Por isso, muitos dos fenómenos bizarros previstos pela física quântica não podiam ser observados directamente e os investigadores só podiam fazer experiências mentais que, em princípio, manifestariam esses fenómenos. 

Através dos "métodos laboratoriais engenhosos", Haroche e Wineland, juntamente com as suas equipas, conseguiram medir e controlar estados quânticos muito frágeis, que antes se consideravam inacessíveis à observação directa.

Os novos métodos permitiram-lhes examinar, controlar e contar as partículas, indica ainda a academia, adiantando que, apesar de as investigações serem independentes, os métodos têm muito em comum. 

Os dois laureados trabalham na área da óptica quântica e estudam a interacção fundamental entre a luz e a matéria, uma área que tem evoluído consideravelmente desde meados da década de 1980. 

Os seus métodos permitiram a este campo de estudo dar os primeiros passos na construção de um novo tipo de computador super-rápido baseado na física quântica. 

"Talvez o computador quântico mude o nosso dia a dia neste século, como o computador clássico fez no século passado", admite a Real Academia Sueca das Ciências.  

A investigação também levou à construção de relógios extremamente precisos que poderão ser a base de uma nova medição do tempo com 100 vezes mais precisão do que os actuais relógios atómicos de césio, adianta o comunicado. 
 
O francês Serge Haroche nasceu em 1944 em Casablanca, Marrocos, doutorou-se em 1971 na Universidade Pierre et Marie Curie, em Paris, e actualmente é professor no Collège de France e na Ecole Normale Supérieure, em Paris.

O norte-americano David J. Wineland nasceu em 1944 em Milwaukee, EUA, doutorou-se em 1970 pela Universidade de Harvard e actualmente trabalha no
National Institute of Standards and Technology (NIST) e na Universidade de Colorado Boulder, EUA. 

O prémio, com o valor monetário de oito milhões de coroas suecas (930 mil euros, 1.203.141 dólares), será entregue numa cerimónia formal em Estocolmo a 10 de Dezembro, aniversário da morte do fundador dos prémios, Alfred Nobel, em 1896.

A temporada dos prémios Nobel 2012 começou na segunda-feira com o anúncio do Nobel da Medicina, atribuído ao japonês Shinya Yamanaka e ao britânico John Gurdon pelo trabalho na reprogramação de células maduras, que voltaram ao estado estaminal. 
 
O anúncio dos prémios prossegue na quarta-feira com o Nobel da Química, na quinta com o da Literatura, na sexta com o da Paz e termina no dia 15 com o Nobel da Economia. 

Os prémios Nobel, criados em 1895 pelo químico, engenheiro e industrial sueco Alfred Nobel (inventor da dinamite), foram atribuídos pela primeira vez em 1901.

segunda-feira, setembro 17, 2012

Mirabai Ceiba no Brasil

 
Indico este LINDO show!! Uma experiência maravilhosa, nirvânica!
Abraços,
 
clique na imagem para ampliar
 
clique na imagem para ampliar

domingo, setembro 16, 2012

Vc conhece a Singularity? Uma Universidade voltada exclusivamente para o desenvolvimento tecnológico, criada pela Google em parceria com a NASA.

Singularity University: conheça e crie projetos inovadores com apoio da Nasa e do Google



Você já ouviu falar na Singularity University? Trata-se de uma universidade interdisciplinar sediada no campus NASA Ames, no Vale do Silício. Fundada por Google, ePlanet Ventures e Autodesk, a SU conta com uma série de patrocinadores e apoiadores, inclusive a Fundação Kauffman.

A missão da SU é proporcionar condições para o desenvolvimento de pensamento disruptivo e soluções para os problemas mais desafiadores da humanidade.

O webinar vai mostrar alguns dos projetos desenvolvidos nesta última temporada pelos alunos da Singularity, com foco em energia, água, alimentos, reciclagem e indústria espacial. Os projetos serão comentados durante 3h pelos co-fundadores da SU Dr. Ray Kurzweil e� Dr. Peter H. Diamandis e� pelo diretor� Dr. Dan Barry.� Inscreva-se para assistir.

Brasil - Os cursos da Singularity University costumavam acontecer exclusivamente no Vale do Silício, mas, pela primeira vez, foram realizadas fora da sede da NASA: em São Paulo/SP, entre 8 e 13 de novembro de 2010, por meio de uma parceria exclusiva com a Fiap� (confira em no site da SU inglês ou no site da Fiap em português). Assuntos do curso: bioinformática, nanotecnologia, robótica, neurociência, entre outros.

Assista ao vídeo de abertura da última temporada na SU, em que Larry Page (fundador e CEO do Google) diz que, se ele fosse estudante, a SU é o local onde ele queria estar.

video
 
* Tecnologia disruptiva ou inovação disruptiva é um termo descrevendo a inovação tecnológica, produto, ou serviço, que utiliza uma estratégia "disruptiva", em vez de "revolucionário" ou "evolucionário", para derrubar uma tecnologia existente dominante no mercado. É sistematicamente demonstrado para a comunidade de pesquisa que as mais disruptivas inovações são uma minoria comparados com as inovações "revolucionarias", que introduzem uma inovação de maior performance no mercado. Exemplo de tecnologias disruptivas sucedendo são raros. Ocasionalmente, uma tecnologia disruptiva vem a dominar um mercado existente, seja preenchendo um espaço no novo mercado que a tecnologia antiga não conseguia atender, ou por sucessivamente mover para cima no mercado, começando com um produto mais barato com performance inferior, e através de aperfeiçoamentos finalmente deslocar os líderes do mercado(como as câmeras digitais substituindo as câmeras por filme).
 

quinta-feira, setembro 13, 2012

Curso Gratuito de Física Moderna para os Professores de Ciências e Física da Rede Pública


clique na imagem para ampliar
 
 
Com muita alegria convido os Professores de Ciências e de Física da Rede Pública de Ensino para este curso gratuito que estou oferecendo em parceria com o CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas). O curso será ministrado em Curitiba.

Este é um evento do Grupo de Pesquisas “Física e Humanidades” (cliquem no link http://portal.cbpf.br/index.php?page=GruposPesquisa.Apresentacao&grupo=42   para conhecer o Grupo) do qual faço parte. O curso é oferecido exclusivamente para os Professores da Rede Pública.

O objetivo do curso é trazer para os professores as mais recentes informações da Física atual, de forma que eles possam levar estes novos e interessantes conceitos para sua sala de aula.Um lado instigante e motivador da ciência para ser trabalhado com as crianças e adolescentes.

Tópicos:

Física de Partículas:
As novas partículas encontradas; Modelo Padrão; Aceleradores de Partículas; As Partículas Transportadoras de Força;

Teoria Quântica
Dualidade onda-partícula; Princípio da Complementaridade; Princípio da Incerteza; O Gato de Shrödinger; As Interpretações da Mecânica Quântica;
 
Teoria da Relatividade:
A dilatação do tempo; E=mc²; a geometria do Espaço x Tempo;

Teoria das Cordas:
Conceitos básicos; Universos Paralelos; Hiperespaço.
 

Ministrante: Eliane P Serra Xavier
Mestre em Física Teórica pela UFPR, na área de Física Quântica.
Especialista em Ensino de Física pela UFRJ.
Integrante do Grupo de Pesquisa “Física e Humanidades” do CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas).
Prof de Pós-Graduação promovendo a interdisciplinaridade da Física Moderna com várias áreas de estudo.
 
Primeiro Encontro: dia 20 de outubro, das 14h às 18h. Segundo encontro a combinar.
Local: Sala de Convenções do Edifício Palace Executive Center. Rua Padre Anchieta, 1691. Champagnat. Curitiba/PR.


 
Informações e inscrições antecipadas pelo e-mail fisicaquantica@uol.com.br ou pelo tel 41-9886-1769.


segunda-feira, setembro 10, 2012

Curso Física Quântica, Múltiplas Dimensões e Universos Paralelos

clique na imagem para ampliar - Curso ministrado nos dias 17 e 18 de agosto de 2012, em Curitiba.
 
Meus agradecimentos a esta linda turma de pessoas curiosas e interessadas em expandir seus horizontes!
Foi uma experiência maravilhosa e enriquecedora para mim! Continuem firmes nos estudos!
 
Grande abraço, Eliane

quarta-feira, setembro 05, 2012

Paes assina acordo com líder indiano para levar meditação a escolas no Rio

Candidato à reeleição recebeu Sri Sri Ravi Shankar no Palácio da Cidade.
Paes também quer usar técnica nas Clínicas da Família.


video


Eduardo Paes, candidato à reeleição pelo PMDB, recebeu o líder espiritual indiano Sri Sri Ravi Shankar, no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, nesta segunda-feira (3). Como mostrou o RJTV, Paes e o líder indiano assinaram um termo de cooperação entre a prefeitura e a ONG, coordenada pelo indiano.

O acordo prevê a implantação de programas de meditação e relaxamento para alunos de escolas públicas, com o objetivo de melhorar o rendimento em sala de aula.
Ravi Shankar inventou uma técnica de respiração que promete benefícios para o corpo e a mente, e criou a Fundação Arte de Viver, com projetos sociais em mais de 160 países.

Eduardo Paes disse que quer usar a técnica também nas Clínicas da Família, para promover saúde e bem-estar.

"Esses espaços [Clínicas da Família] são espaços de atenção primária, de tratamento preventivo, não são espaços para cuidar de doença. É um espaço que você pode, já estão atingindo quase 2,5 milhões de cariocas, atingir uma parte importante da população e usar uma técnica de meditação, respiração, como uma forma de melhorar a vida das pessoas, inclusive no ponto de vista psicológico, do estresse, e das tensões do cotidiano", explicou Paes.

fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/eleicoes/2012/noticia/2012/09/paes-assina-acordo-com-lider-indiano-para-levar-meditacao-escolas-no-rio.html
 

domingo, setembro 02, 2012

Aurora Boreal vista do espaço. Lindo!!!

 
Curiosidades sobre a luz.
Quando os ventos solares gerados por eventos como as erupções solares atingem a atmosfera terrestre, eles interagem com os átomos de oxigênio, fazendo com que emitam luzes verdes semelhantes às capturadas pela Estação Espacial Internacional, vista aqui.
 
video
 
As ondas de luz, chamadas de aurora boreal e aurora austral (ou luzes do norte e luzes do sul, respectivamente) são tipicamente verdes, mas alguns brilhos azuis e vermelhos podem ser emitidos de átomos de nitrogênio.

fonte: http://hypescience.com/10-coisas-que-voce-nao-sabia-sobre-a-luz

Humanos emitem luz.

luz emitida pelo corpo humano

Por em 23.07.2009 as 15:04

Na primeira imagem você vê como funcionada a detecção da luz, em uma sala totalmente escura. A imagem B mostra um dos voluntários. Nas outras imagens é possível ver a variação do brilho corporal durante as horas do dia. O gráfico compara esta flutuação. A última imagem (I) mostra como é a foto das emissões de infravermelho, ou seja, emissões de calor.

O corpo humano literalmente brilha, emitindo luz visível em níveis extremamente baixos que aumentam e reduzem durante o passar do dia, descobriram cientistas. É uma luz visível diferente da radiação infravermelha, uma forma de luz invisível, emitida pelos corpos humanos.

Pesquisas anteriores já mostraram que o corpo emite luz visível mil vezes mais fraca do que os níveis visíveis a olho nu. É fato que virtualmente todos os animais emitem luz extremamente fraca, o que se pensa ser um subproduto de reações bioquímicas envolvendo radicais livres.

Para descobrir mais sobre esta forma fraquíssima de luz visível, cientistas japoneses utilizaram câmeras extremamente sensíveis capazes de detectarem fótons individuais. Cinco voluntários jovens e saudáveis eram colocados em frente às câmeras sem camisa, em ambientes totalmente selados contra iluminação, durante 20 segundos a cada três horas. Das 10 da manhã às 22h da noite.

Os pesquisadores descobriram que o brilho o corpo aumentou e caiu durante o dia, com o nível mínimo sendo as 10h da manhã e o pico as 16h, caindo gradualmente depois deste horário. Estas descobertas sugerem que estas emissões de luz estão ligadas ao nosso relógio corporal, chamado de ciclo circadiano, e deve estar relacionado às flutuações do ritmo metabólico ao longo do dia.

Os rostos brilhavam mais do que o restante do corpo. Isso pode ocorrer pelo fato das faces serem mais bronzeadas do que o restante do corpo, pois são mais expostas a luz do sol. A melanina, o pigmento da pele, tem componentes fluorescentes que podem ampliar a minúscula produção de luz do corpo.

Como a fraca luz está ligada ao metabolismo, estas descobertas sugerem que as câmeras podem encontrar fracas emissões que podem ajudar a identificar problemas de saúde, segundo Hitoshi Okamura, um biólogo circadiano da Universidade de Kyoto, no Japão.

“Se você pode ver esta luz fraca na superfície do corpo, você pode ver a condição de todo o corpo”, disse o pesquisador Masaki Kobayashi, um especialista em fotônica do Tohoku Institute of Technology, no Japão.

A pesquisa foi publicada na revista científica PLoS ONE. [Live Science]

fonte: http://hypescience.com/18993-esquisito-humanos-emitem-luz/

segunda-feira, agosto 27, 2012

Palestra e Minicurso

Queridos amigos,
 
Atendendo a pedidos  estarei repetindo a Palestra: "A Relação entre a Física Quântica e as Práticas Contemplativas" no edifíco BIOCENTRO que fica na Rua Padre Anchieta, 1846. O encontro será no dia 26 de setembro das 20h às 22h. Inscrições antecipadas com Cristiane pelo e-mail fisicaquantica@uol.com.br ou pelo cel (TIM) 41-9886-1769. VAGAS LIMITADAS.
 
Vendo que não é possível observar sem interferir, a Física Quântica nos reconecta ao nosso poder interior, ao nosso livre-arbítrio e a nossa Divindidade, nos fazendo relembrar de sabedorias muito antigas, que se tornaram esquecidas pelo predomínio do paradigma clássico-cartesiano. É um caminho conjunto do conhecimento e do coração.
 
Tópicos:
 
Princípios Básicos da Física Quântica:
 
Modelos Atômicos; O significado de E=mc²; A ideia do quantum; Princípio da Incerteza; Dualidade onda-partícula; O colapso da função de onda; As infinitas possibilidades; O papel do observador na física quântica.
 
As Práticas Contemplativas:
 
Meditação Silenciosa; Shamata Impura; Shamata Pura; As Aplicações Clínicas das Práticas Contemplativas.

 
clique na imagem para ampliar

Convido também para o minicurso: Universo Quântico - como a física quântica pode ajudar a mudar o mundo e a nós mesmos.
 
Tópicos do curso:
 
- Salto Quântico e Criatividade;
- O Princípio da Incerteza: Indentidade x Self Quântico;
- Entrelaçamento Quântico e Não-localidade;
- Hierarquia Entrelaçada: o surgimento co-emergente do observador e do objeto;
- Acessando a Inteligência Supramental.
 
O minicurso será no dia 29 de setembro, sábado, das 14h às 18h, no CEBB Curitiba. Inscrições antecipadas com Cristiane pelo e-mail fisicaquantica@uol.com.br ou pelo cel 9886-1769. Colaboração Sugerida R$90,00.
 
 
clique na imagem para ampliar
 
 

quinta-feira, agosto 23, 2012

Lindo vídeo - Cataratas do Iguaçu e Sustentabilidade

video

Deixo pra vcs este lindo e profundo vídeo do cineasta e ambientalista Glaucon Horrocks, que já me deu a honra de ocupar um lugar entre os alunos dos meus cursos de Física Quântica.

A Quinta Dimensão - Física Quântica para todos (8)

 
Caros amigos,
 
Hoje vamos falar um pouco sobre a possibilidade de dimensões extras. Nosso espaço tem 3 dimensões: largura, altura e comprimento. Albert Einstein em 1905 incluiu o tempo como mais uma dimensão, transformando assim o nosso conceito de espaço como algo separado do tempo. Einstein traz uma descrição de uma única estrutura quadridimensional chamada de espaço x tempo. É um pouco mais difícil entender o tempo como uma dimensão pois isso foge ao nosso senso comum, mas vcs podem ver num post um pouco anterior a este "O Paradoxo do Gêmeos - o tempo ditala!" como este fenômeno acontece. Bem, quando falamos então em quinta dimensão estou me referindo a quarta dimensão espacial, que é a quinta no total, pois não podemos nos esquecer de que o tempo já está incluso, fazendo o papel da quarta dimensão.
Para nós podermos entender o que seria uma dimensão acima, nós precisamos primeiro pensar nas dimensões abaixo. Podemos imaginar como seria para um ser que vivesse em apenas duas dimensões, encontrar com alguém que viesse de uma dimensão acima, ou seja, alguém que vivesse num espaço de três dimensões. Para esta ideia postei abaixo um filminho muito interessante do Dr Quantum visitando um mundo chamado "Planolândia":
 
video
 
Como vocês puderam ver no filme o Dr Quantum pode realizar "milagres", como ver o que está dentro do cofre, ou retirar objetos de cômodos fechados sem passar pelas paredes. A ideia por trás desta formulação de que nosso Universo pode ter mais dimensões, é a de que pensando em um Universo com mais dimensões as leis físicas se tornam mais fáceis. Albert Einsten conseguiu simplificar as equações da física clássica quando ele tomou o tempo como sendo mais uma dimensão. Vindo futuramente do seu trabalho a famosa equação da física E = mc² !
Muitas das questões não respondidas hoje pela física podem ter suas soluções em dimensões extras, ainda não conhecidas por nós. Com certeza é uma ideia a se considerar. E se na verdade nosso cérebro só tenha evoluído para perceber 3 dimensões espaciais, quando na verdade estamos cercados por outras? Deixo pra vcs a pergunta e o mistério, que é o ponto mais fascinante de estudarmos nosso Universo.
 

terça-feira, agosto 14, 2012

I CONGRESSO LATINO AMERICANO EM SAÚDE E TERAPIAS QUÂNTICAS


Queridos amigos,
Gostaria de convidar-lhes para o I CONGRESSO LATINO AMERICANO EM SAÚDE E TERAPIAS QUÂNTICAS DIAS 9 e 10 de novembro em Curitiba, no Bourbon Convention Center.
CARTA DA PRESIDENTE "É com entusiasmo e muita satisfação que tenho a honra de convidar a todos os profissionais da área da saúde e afins, que estão comprometidos em fazer do nosso planeta um lugar melhor, interessados em conhecer os conceitos de saúde interdisciplinar vibracional holística, a participarem do I° Congresso Latino Americano de Saúde e Terapias Quânticas, promovido pelo Projeto Quantum, da parceria UNINTER/IBPEX – Fisioquantic." Rosangela Arnt PRESIDENTE
Cliquem no link para mais informações
http://www.grupouninter.com.br/cstq/
Nos vemos lá!
Abraços,

segunda-feira, agosto 13, 2012

Sabedoria e Conhecimento

Sabedoria e Conhecimento - Por vezes, podemos ter a informação e até o conhecimento, mas a sabedoria de sua aplicação construtiva só é conquistada com o coração. Enquanto a informação pode modificar o meu discurso e o conhecimento, a minha conduta – só a sabedoria é capaz de modificar o meu caráter e, assim, me transformar a cada dia num ser humano melhor! Que a luz da nossa candeia possa todos os dias iluminar alguém.

sábado, agosto 11, 2012

O Paradoxo dos Gêmeos - O tempo dilata!


Albert Einstein passeia ao lado de seu irmão gêmeo mais jovem!

O paradoxo dos gêmeos é um problema de relatividade geral que intriga aos cientistas e a pessoas comuns pois ele nos obriga a ver o espaço e o tempo de uma forma diferente da qual fomos acostumados a vê-los. Vamos supor que existam dois gêmeos idênticos João e José, e ao completarem 20 anos, João viaja para um planeta distante da Terra. Considerando que José vai ficar aqui no nosso planeta, para ele o tempo continua passando normalmente, e seu envelhecimento acontece de forma natural e normal. Já seu irmão João, que está viajando no espaço a velocidades próximas a da luz, sente o tempo passar de forma diferente para ele. Depois de 30 anos, por exemplo, ao se reencontrarem, o gêmeo que ficou na Terra teria a idade de 50 anos, enquanto que o outro, que viajou a velocidades altíssimas neste período dos 30 anos, estaria bem mais jovem!

Isso acontece pela constância da velocidade da luz! A luz se move sempre a mesma velocidade, independentemente do referencial! Este conceito não é simples pra gente, mas vamos entendê-lo melhor. No nosso querido mundo clássico, onde os fenômenos são descritos pelas tranquilas leis de Newton, a velocidade depende do referencial escolhido. Por exemplo, se estamos parados na calçada e olhamos um carro passar na rua a 60 Km/h, a velocidade deste carro em relação a nós é 60 Km/h. Já em outra situação, se estamos também na rua mas agora dentro de num carro também a 60 Km/h e olhamos pela janela para o outro carro ao nosso lado trafegando a 60 Km/h, veremos este carro "parado" em relação ao nosso referencial, certo?! Mas com a luz a história é diferente! A luz se move sempre a 300.000 km/s independentemente de onde estivermos olhando, independente do nosso referencial! Se você estiver parado e olhar um raio de luz, este estará se afastando de você a 300.000 Km/s. Se você estiver num foguete no espaço a uma velocidade altíssima, e olhar pela janela um raio de luz, ele também estará se afastando de você na mesma velocidade, sempre a mesma!
Podemos pensar que alguma outra variação no Universo precisa haver para "compensar" este efeito. E essa variação realmente existe. Ao invés de ser na velocidade da luz, que é sempre constante, esta variação acontece no passar do tempo. Um relógio na nave de João, que viaja a velocidades próximas a da luz, se move mais lentamente do que um relógio aqui na Terra!
Este fenômeno já foi comprovado experimentalmente ao se colocar um relógio atômico num avião supersônico, que deu a volta no planeta a alta velocidade, sincronizado com outro relógio atômico num laboratório aqui na Terra. Quando o avião voltou do seu percurso os relógios marcavam horários ligeiramente diferentes (o relógio do avião estava ligeiramente atrasado)! Mostrando que o tempo dentro do avião (que se movia a altas velocidades) passou de forma mais lenta do que no laboratório.

Podemos ver este efeito também, da dilatação temporal, quando observamos os raios cósmicos (chuvas de partículas que vem do cosmos sobre nosso planeta). As partículas cósmicas como os múons reproduzem este efeito quando apresentam um tempo de vida maior do que o esperado quando se movem em velocidades muito altas. Nestes casos, o tempo de vida da partícula é o mesmo, porém seu tempo e espaço estão deformados, e portanto em nosso referencial, medimos tempos de vida maiores para estas partículas. Efeitos similares são obtidos em grandes aceleradores de partículas em grandes centros de pesquisa, como o LHC, no laboratório CERN na fronteira da Suíça com a França.

Sei que este conceito é muito fora de nosso senso comum, de como pensamos ser o mundo. Mas concordo plenamento com o físico de Cordas Michio Kaku, que diz o seguinte: "A ciência existe justamente para nos fazer ir além de nosso senso comum das coisas. Se nosso senso comum estivesse certo não precisaríamos da ciência!"

Grande abraço!

quarta-feira, julho 18, 2012

Relações Sustentáveis - descobrindo a Comunicação Não-Violenta


É um trabalho maravilhoso!! Cliquem na imagem para ampliar. Mais informações cliquem no link: https://www.facebook.com/events/267673053336649/permalink/268030553300899/

Encontro dia 22/07 das 9h às 19h, no CEBB em Curitiba. 
Investimento: Colaboração voluntária.


segunda-feira, julho 09, 2012

Não somos nós que estamos no universo, o universo é que está em nós! (e uma pergunta perturbadora)

video

Excelente vídeo de Neil deGrasse Tyson. Vale a pena!

Como modificar seu cérebro por vontade própria




Será que o vício em cigarro acontece exclusivamente por dependência química à nicotina? Ou é o cérebro quem se acostuma a responder com relaxamento e bem-estar ao ato de jogar fumaça para dentro dos pulmões?
Uma neurologista norte-americana, Charlotte Tomaino, se dedicou a investigar a segunda opção: como o cérebro pode ser “moldado”, ao longo dos anos, devido à repetição de hábitos de vida?
Como resultado de mais de 30 anos de extensas pesquisas neste campo, escreveu o livro “Awakening the brain” (expressão em inglês para “acordando o cérebro”, embora ainda não haja uma versão em português da obra), no qual explora a maneira como podemos manipular, até certo ponto, a forma como nosso cérebro funciona. É a neuroplasticidade.

Massa de modelar

A neurologista explica que o funcionamento interior de cérebro, com trilhões de conexões neurais, está em constante mudança. Obviamente, não controlamos a maior parte dessas alterações: o cérebro age “por si mesmo”.
Mas Charlotte explica que podemos impor nós mesmos um limite ao livre arbítrio do cérebro, e programá-lo para trabalhar de determinada forma em várias situações. O método para forjar o cérebro é simples: repetição das mesmas atitudes que resultem na mesma resposta corporal, ou seja, criar hábitos.
Colocando em termos práticos: por que é tão difícil seguir adiante com aquele entusiasmo inicial de fazer exercícios na academia diariamente? A neuroplasticidade explica.
Como o cérebro de um sedentário não está acostumado às alterações corporais decorrentes da atividade, ele precisa ser moldado. Durante este período, a pessoa determinada a não largar a academia precisa de força redobrada, até ser lapidada mentalmente.
Quando isso acontece, os papéis se invertem: fazer exercícios se torna um vício, tal como o cigarro, e o corpo fica incomodado justamente se não se movimentar. O cérebro, nesse ponto, já se acostumou a usufruir os benefícios da liberação de endorfina no corpo, e responde conforme esta necessidade. Desta forma, a neuroplasticidade é válida para vícios bons e ruins.

Oito ou oitenta

O cérebro é um órgão que se atualiza mais constantemente do que imaginamos. Sempre é tempo de adquirir um novo hábito (que pode exigir mais ou menos força de vontade) e incluir este procedimento na “lista de tarefas” do cérebro.
Da mesma forma que pode-se moldar, contudo, pode-se “desmoldar” conforme você o programa. Da mesma forma que se adquire um novo hábito, pode-se perder. Utilizando mais uma vez o exemplo do exercício físico: não adianta você ter sido um atleta regular até os 25 anos de idade. Se tiver caído no sedentarismo logo depois, vai sofrer como alguém que jamais se exercitou se quiser voltar à ativa depois dos cinquenta.
Nossa mente tende sempre a descartar gradativamente (até chegar ao zero) tudo aquilo que não está sendo usado, e fica apenas com o que é corrente, atual. Assim, o cérebro de um sedentário de 50 anos mal vai “lembrar” da época em que aquele corpo estava em forma. Mais um exemplo de como a neuroplasticidade atua para o bem e para o mal. [CNN/Awakening the Brain/Life Training News]

domingo, julho 08, 2012

Misteriosa estrutura oculta do universo é observada pela primeira vez


Os últimos dias estão sendo agitados no campo da astrofísica. A empolgação geral com a comprovação da existência do bóson de Higgs praticamente encobriu outra descoberta fascinante: a matéria escura foi identificada diretamente pela primeira vez.
Pesquisadores do Observatório da Universidade de Munique, na Alemanha, detectaram uma gigantesca cadeia de matéria escura entre dois super-aglomerados de galáxias, Abell 222 e Abell 223. Astrônomos já haviam pressuposto que o espaço entre as galáxias era composto por matéria escura e fria, mas ela nunca havia sido detectada diretamente. Essa descoberta ajudará os cientistas a entender a evolução do universo.
O universo é preenchido com filamentos de matéria escura, uma misteriosa substância que não pode ser vista. Cientistas sabem que essa obscura estrutura existe porque ela pode ser detectada através de sua atração gravitacional. Calcula-se que a matéria escura componha cerca de 83% da massa de nosso universo.
Alguns cientistas eram céticos com a possibilidade de detectar filamentos de matéria escura atualmente, acreditando que seria necessário esperar por telescópios mais avançados. Mas graças à geometria espacial rara desses dois aglomerados de galáxias, os cientistas alemães conseguiram detectar sinais do que é conhecido como lente gravitacional fraca. O efeito dessa lente gravitacional faz com que a luz de um objeto, como uma galáxia, apareça com sua imagem inclinada na Terra quando passa perto de um aglomerado massivo.

A descoberta

A estrutura de matéria escura encontrada aparece justaposta com a distribuição de matéria comum, o que permite uma comparação sem precedentes entre as duas fontes de gravidade. A matéria escura pode ser detectada porque a forte gravidade do filamento que une os dois aglomerados de galáxias – que ficam a 2,7 bilhões de anos-luz de distância da Terra – funciona como uma lente para a luz que vem de galáxias mais distantes em direção ao nosso planeta. Astrônomos usaram essa luz para calcular a massa e o formato do filamento.
A partir de raios-X emitidos pelo gás quente de matéria comum, cientistas descobriram que essa matéria compõe apenas 9% da massa do filamento. Outros 10% podem ser atribuídos às estrelas e galáxias visíveis. E o restante? A famosa matéria escura, que conecta aglomerados de galáxias pelo universo.
Entender a relação entre a matéria comum e a matéria escura pode ajudar os cientistas a entenderem como a matéria escura é formada, e consequentemente, entender a estrutura do universo. No futuro – não tão distante, esperamos – poderá ser possível descobrir o que compõe a misteriosa e obscura matéria escura.


sábado, julho 07, 2012

O Bóson de Higgs

Queridos amigos,

Tivemos essa semana um marco histórico na Física! Foi confirmada a existência do bóson de Higgs, a apelidada "partícula de Deus"! Com certeza um triunfo da ciência! Um grande feito da capacidade intelectual do ser humano, tanto na parte teórica quanto tecnológica!

É um pouco difícil falar do bóson de Higgs de uma maneira não-técnica, pois ele foi idealizado como uma peça fundamental de um "quebra-cabeças", que seria o Modelo Padrão. O bóson de Higgs complementa de forma crucial esse modelo que temos hoje para explicar e ordenar as centenas de partículas conhecidas e catalogadas, graças aos aceleradores de partículas.

Falando um pouco sobre o Modelo Padrão, como foi dito, ele é a parte da Física Teórica que explica do que o mundo é feito e o que o mantém unido. Dentro do Modelo Padrão temos as partículas fundamentais, que são aquelas que não se subdividem em estruturas menores. Dentre estas partículas fundamentais temos 6 quarks, 6 léptons e as partículas transportadoras de força. O elétron, por exemplo, é um tipo de lépton. Dentre as partículas transportadoras de força temos:

o fóton, que é a partícula transportadora da força eletromagnética;
o glúon, que é a partícula transportadora da força forte;
o W+, W- e Z, que são as partículas transportadoras da força fraca e
o gráviton, que seria a partícula transportadora da gravidade (ainda não observado experimentalmente).

clique na imagem para ampliar

A força eletromagnética já faz parte  da nossa vida; a força forte é a força que atua dentro do núcleo; mantendo os prótons e neutrons unidos; a força fraca é a responsável pelos decaimentos radioativos e a gravidade todos também conhecem.

Analisando-se as partículas descritas pelo Modelo Padrão surge a pergunta:
Por que a partícula W+ tem uma massa elevada enquanto o fóton não possui massa, se ambos são transportadores de forças? O que causa a geração e distribuição de massas entre as partículas e por que elas são tão diferentes?


O bóson de Higgs vem responder esta pergunta. Esta partícula estaria associada ao Campo de Higgs que teria existido em mínimas frações de segundos após o Big Bang, quando todas as partículas estavam livres e misturadas, como numa "sopa" a altíssimas temperaturas. Conforme o Universo recém-nascido foi se expandindo e esfriando o Campo de Higgs foi se tornando mais "denso", como uma gelatina vai endurecendo ao se esfriar. Ao atravessar este campo as diferentes partículas adquiriram suas massas, de acordo com  sua inércia. Por exemplo, uma partícula que passou pelo Campo de Higgs muito rapidamente adquiriu pequena massa, enquanto outra que interagiu mais com o Campo adquiriu uma massa maior.

Esse post foi para termos uma ideia um pouco mais "palpável" de toda esta fundamentação da Física de Partículas. Mas o assunto todo é muito mais longo e complexo e continuaremos discutindo em futuras oportunidades.

Grande abraço,

Eliane

sexta-feira, julho 06, 2012

Porque o bóson de Higgs dá sentido ao universo [partícula de Deus]


Na última quarta-feira (4), em uma coletiva de imprensa realizada no laboratório CERN (Organização Europeia de Pesquisas Nucleares) em Genebra, na Suíça, cientistas anunciaram o que pode ser a descoberta de uma das partículas elementares para a formação de tudo o que existe: o bóson de Higgs.

Há anos, pesquisadores trabalhando no Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), o maior acelerador de partículas que existe, procuram o bóson, partícula que foi proposta pela primeira vez por Peter Higgs em 1964, 48 anos atrás.

Agora, duas equipes separadas do LHC – ATLAS e CMS – chegaram a resultados parecidos que estão em conformidade com as previsões teóricas sobre as partículas subatômicas do Modelo Padrão da Física, com a inclusão do bóson de Higgs. Isso indica que a partícula de fato existe.

O bóson teria massa de 125.3 GeV, e os resultados têm o nível de certeza de 4,9 sigma (o ideal é 5 sigma, nível necessário para reivindicar uma descoberta, pois significa que há menos de uma chance em um milhão dos dados serem um acaso estatístico).

“Foi anunciada a descoberta de um bóson que pode ser o bóson previsto por Higgs há quase 50 anos. A beleza da descoberta vem não apenas da notável previsão teórica, baseada em alguns conceitos bastante simples de simetria, mas do avanço tecnológico que foi preciso fazer para comprovar a sua existência”, comenta a Prof. Dr. Carola Dobrigkeit Chinellato, do Grupo de Física Teórica (GFT), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Tal êxito só foi possível com um enorme esforço e trabalho conjunto de milhares de pesquisadores, físicos, engenheiros e técnicos. “Acho que é mesmo um momento histórico”, diz.

Apesar de muita gente achar que o bóson de Higgs é um caso certo, ainda é preciso ter cautela. Os cientistas estão tratando a descoberta como “muito provável”, e pediram tempo para analisar as informações.

“Esta cautela é inteiramente justificável. Embora seja relativamente robusto, níveis de certeza maiores do que 4,9 já vieram a ser modificados pelos próprios dados experimentais. É preciso cuidado”, explica o Prof. Dr. Marcelo M. Guzzo, do Instituto de Física Gleb Wataghin, também da UNICAMP.

A “descoberta” e o Modelo Padrão da Física


O bóson de Higgs é a partícula pela qual supostamente tudo no universo obtém sua massa, inclusive nós, seres humanos.

Sendo assim, a partícula era vista como crucial para que os físicos pudessem dar sentido ao universo. Só que ela nunca tinha sido observada por experimentos.

Por conta de sua importância nos blocos de construção básicos do universo, o bóson recebeu o apelido de “partícula de Deus”, apelido que Guzzo não simpatiza. “Não gosto do nome ‘Partícula de Deus’, apenas se for pensado como uma espécie de brincadeira. Supondo que tenhamos, de fato, descoberto o Higgs, temos em mãos um quebra-cabeça muito mais completo rumo a uma compreensão das partículas elementares e suas propriedades. Isto é muito bom. Mas outras peças que são igualmente importantes neste quebra-cabeça nunca foram chamadas de ‘Partículas de Deus’”, argumenta.

O quebra-cabeça maior seria, por assim dizer, o Modelo Padrão da Física, uma espécie de “livro de instruções” que descreve como as partículas e as forças interagem no universo. Sem a existência do bóson de Higgs, ou seja, de uma partícula que desse massa a todas as outras, todo esse modelo poderia ir por água abaixo.

Sendo assim, uma das grandes consequências da descoberta é o fortalecimento desta teoria em detrimento de teorias alternativas. “Podemos afirmar que nada muda no Modelo Padrão das Partículas Elementares. Pelo contrário. O bóson de Higgs fazia parte do Modelo Padrão que sai muito fortalecido por esta descoberta”, diz Guzzo.

Agora, qualquer outro modelo alternativo ao Modelo Padrão terá que incorporar o Higgs, que passa a ter status de “evidenciado experimentalmente”.

E o bóson de Higgs também ajuda a explicar outras teorias, como a simetria de gauge. “Agora entendemos como a simetria de gauge, um dos pilares da construção do Modelo Padrão e que gera previsões estranhas como, por exemplo, que os bósons intermediários responsáveis pela interação fraca não têm massa, pode incorporar as massas destas partículas que foram encontradas experimentalmente já no início da década de 1970. Isto se dá através do Mecanismo de Higgs”, explica o professor.

O badalado bóson de Higgs, então, foi encontrado (provavelmente). Mas o grande vencedor parece ser o Modelo Padrão da Física.

“O conjunto começa a ficar muito interessante. Bonito mesmo! A ponto que eu gostaria de ver o Modelo Padrão ensinado nas escolas, como um conhecimento popular. É a consagração do Modelo Atomista que há milênios ronda o conhecimento humano”, opina Guzzo.

“Já há muitos anos nós aprendemos sobre a previsão da existência do bóson de Higgs, e ensinamos sobre ele para os nossos alunos. O anúncio dos resultados dos experimentos ATLAS e CMS é motivo de alegria para os físicos, e ainda mais para os físicos que trabalham na área de partículas elementares. Sentimos uma satisfação parecida com a de alguém que está montando um quebra-cabeça enorme e consegue achar a pecinha que estava faltando para completar o quadro”, comemora a professora Carola.

fonte: http://hypescience.com/o-que-significa-a-descoberta-do-boson-de-higgs-particula-de-deus/